Portugal atinge recorde de projectos de investimento estrangeiro em 2017

Estrangeiros a viver em Portugal aumentaram 6% em 2017, principalmente italianos e franceses
28 Junho, 2018
Portugal e Brasil assinam acordo de cooperação bilateral
28 Junho, 2018

Portugal atinge recorde de projectos de investimento estrangeiro em 2017

ECONOMIA

De acordo com um estudo da EY, Portugal nunca contou tantos projectos de investimento estrangeiro como em 2017. É agora considerado o país mais atractivo da Europa para investir no curto-prazo.

Por Ana Batalha Oliveira

21 de junho de 2018

Portugal é um destino de investimento cada vez mais atractivo, assinala a EY, através do Inquérito de Atractividade publicado esta quinta-feira. Em 2017, aterraram em terras lusas 95 projectos de investimento directo estrangeiro (IDE) – mais 61% que em 2016, quando a contagem não passava dos 59.
Além de um total recorde, este é o maior salto anual desde 2005, o primeiro ano em que foi lançado este inquérito. Se no número de projectos Portugal está abaixo da média da Europa, no crescimento supera largamente o bloco, que aumentou apenas 10%.

E como os projectos não avançam sozinhos, foram criados 7.657 empregos para ajudar a pô-los em marcha. A comparar com a média da UE, Portugal volta a ficar à frente, apesar de estar muito atrás do líder. O Reino Unido conseguiu criar mais de 50.000 postos de trabalho com IDE em 2017, e a Espanha mais de 13.000. Para trás ficam Bélgica, Itália e Grécia.

Portugal, o mais atractivo no curto-prazo

Estes números fazem notar o crescente apelo de Portugal aos olhos dos investidores estrangeiros. No que toca à percepção da atractividade e aos planos de investimento no curto prazo, Portugal aparece no estudo como o favorito em território europeu, ultrapassando Espanha, a França e a Alemanha. Uma fatia de 65% dos 203 inquiridos olham para o território nacional com interesse e quase um terço dos entrevistados – 31% – deram a garantia em nome próprio que o nível de investimento não vai ficar por aqui, e afirmaram ter projectos na calha para os próximos três anos.

Fonte: EY

“Os dados recolhidos pela EY mostram que a percepção dos investidores internacionais sobre o nosso país voltou a melhorar” comenta o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, num comunicado enviado às redacções.

Lisboa é a mais atractiva, mas Norte tem mais projectos

“Lisboa surge novamente como a região mais atrativa, seguida pela região Norte, Centro, Algarve, Madeira, Alentejo e Açores”, resume a EY.

Contudo, foi o Norte a conquistar o maior número de projectos, entre os quais Euronext, Natixis, Bosch, Vestas e a Zalando. Em Lisboa, instalaram-se empresas como a Cisco, Siemens e Google. Juntas, a região norte e a capital colheram 70% do total de investimentos.

Quase metade dos projectos, e portanto a grande massa de postos de trabalho (3.139), surgiram no sector da indústria. A área de investigação e desenvolvimento destaca-se em segundo lugar, ao acolher 18 projectos que se traduzem em 1.420 empregos. A fechar o pódio do número de projectos estão os negócios de vendas e marketing. Porém, são os centros de serviços partilhados que mais criam emprego a seguir à indústria.

Mais investimento, “no melhor e no pior”.

Portugal é visto como um país de estabilidade social, e este constitui o principal factor de atractividade, de acordo com 86% dos inquiridos. Mas não é a única característica em destaque: 78% valorizam o potencial de aumento da produtividade e 77% sublinham a vantagem dos custos laborais.

 

Por outro lado, o estudo evidencia os pontos a melhorar. Os inquiridos queixam-se da carga fiscal e dos incentivos às empresas, nomeadamente no que toca às regiões e a apoios mais específicos. Outros dois factores de preocupação são as perspectivas e dimensão do mercado português.

Fonte:

jornaldenegocios.pt

 

#vpbusiness #jornaldenegocios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *